Departamento de Comunicação
26/10/2017 - 14:00 - Atualizado em 26/10/2017 - 15:02


Moradores e comerciantes da rea central recebem orientao sobre coleta seletiva

Moradores e comerciantes da rea central recebem orientao sobre coleta seletiva


Os moradores e comerciantes da área central de Paranaíba estão recebendo orientações sobre a coleta seletiva de lixo, através de folhetos explicativos distribuídos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. No material que está sendo distribuído de porta em porta, além de explicações sobre como separar o material reciclável  e orgânico, constam espaço  lembrando os dias que o caminhão da coleta seletiva estará passando naquela localidade.
 

    O folheto informa que a população de Paranaíba produz todos os dias, aproximadamente 30 toneladas de lixo domiciliar. Até o fim do ano esse material será recolhido e depositado no atual lixão da cidade, que está com os dias contados por conta de Termo de Ajuste firmado entre a Prefeitura e o Ministério Público Estadual.
 

O município de Paranaíba enfrenta uma pendencia judicial, desde 2007 por força da Ação Civil Publica movida pelo Ministério Publico Estadual, tendo sido condenado com a proibição de gastos em festas, eventos e publicidade.
 

 A atual administração para regularizar a questão dos resíduos sólidos , assinou um acordo com o Ministério Publico , estabelecendo ações e procedimentos para a coleta, transporte, disposição e destinação adequada do lixo.    
 

Uma das exigências deste acordo assinado em junho deste ano prevê a realização da coleta seletiva, por etapas, iniciando na área central até atingir todos os bairros da cidade. O objetivo é diminuir o problema da e evitar a degradação ambiental devido ao longo período de decomposição dos materiais recicláveis.

 

De acordo com a engenheira ambiental Erica Lamblem, a prioridade é motivar a a população a fazer sua  parte separando o lixo reciclável (vidro, papel, plástico e metal) do lixo úmido que deve ir na coleta convencional. “Pedimos que embalem o lixo sempre seco e limpo, sem qualquer resíduo solido ou liquido, de preferencia amassado, para diminuir o volume e facilitar o manuseio”,  recomenda Lamblem.  

        


OUTRAS NOTÍCIAS: Meio Ambiente