Departamento de Comunicação
01/02/2018 - 08:50 - Atualizado em 02/02/2018 - 08:50


Desestrutura familiar está na base da indisciplina, afirma Juiz

Desestrutura familiar está na base da indisciplina, afirma Juiz


Uma das palestras mais aguardadas da II Jornada Pedagógica que esta sendo realizada pela Secretaria Municipal de Educação foi ministrada pelo Dr. Plácido  de Souza Neto, Juiz de Direito da 2ª Vara de Paranaíba. Ele abordou o tema “ Indisciplina Escolar: Dilemas e Possibilidades”, para uma plateia composta  basicamente por professores, diretores e coordenadores da Rede Municipal de Ensino

Para o magistrado, a indisciplina reflete a  dificuldade ou incapacidade do individuo em se  relacionar se com as regras pré existentes. Ele assinal no entanto que a indisciplina não está restrita somente ao ambiente escolar, mas também está presente no trânsito, no trabalho e na vida pessoal.

Ele apontou alguns tipos de pessoas que embora indisciplinados não são agressivos, mas sim desorganizados. Existem no entanto, segundo  Dr Plácido, aqueles  indisciplinados rebeldes que não aceitam o exercício da autoridade sobre suas vidas.

No entendimento dele existe uma relação entre o exercício da  autoridade e a prática do autoritarismo  que foi vivenciado pelo país nos anos do regime militar, quando a sociedade saiu as ruas em busca das praticas democráticas. “ Com receio de sermos autoritários, abdicamos  de exercer a autoridade”, afirmou

“Essa confusão, esse equivoco precisa ser desfeito pela sociedade, que não pode existir e se organizar sem o exercício equilibrado da autoridade” argumentou o magistrado. Para ele, muitas das vezes o educador lida com jovens e adolescentes que nunca receberam nenhum tipo  de orientação sobre autoridade.

Desestrutura familiar na raiz da questão

Para o dr Plácido de Souza Neto a desestrutura familiar está na origem  da indisciplina. Ele citou estudos científicos que comprovam que a ausência da figura paterna ou materna faz com que a criança deixe de receber princípios de valores como respeito e autoridade.

O magistrado convidou os educadores para um reflexão sobre como está exercitando a autoridade em sala de aula. “Não excluo a responsabilidade da família, tampouco do próprio aluno, mas existem um conjunto de fatores, um conjunto de responsabilidades onde muitas vezes a família não consegue resolver. Por isso, é importante que os professores  exerçam sua autoridade com amor no coração”, avaliou o Dr. Plácido de Souza Neto.

 


OUTRAS NOTÍCIAS: Educação