Departamento de Comunicação
23/03/2020 - 15:21 - Atualizado em 23/03/2020 - 15:21


Álcool gel que seria doado por farmácia era impróprio para uso na pele

O produto é inflamável e indicado para limpeza de vidros e azulejos

Álcool gel que seria doado por farmácia era impróprio para uso na pele


Uma polêmica tomou conta das redes sociais dos paranaibenses na manhã desta segunda-feira (23), que foi o embargo da doação de álcool gel de uma farmácia no bairro Industrial de Lourdes, em Paranaíba. No entanto, a Vigilância Sanitária proibiu a ação por vários motivos, um deles é que o produto é impróprio para ser usado na pele.

 

“O produto que eles estavam distribuindo e até venderam na semana passada e pretendiam distribuir novamente hoje, não é um álcool próprio para ser usado na pele, ele é para limpeza de superfícies”, explica Giane Machado, coordenadora da Vigilância Sanitária de Paranaíba.

 

No rótulo do produto, encontrado na farmácia, está a indicação do modo de uso e finalidade do mesmo, que diz: aplique o álcool diretamente nas superfícies, vidros; azulejos; fórmicos e com pano umedecido espalhe o produto. Já as precauções são: perigo produto inflamável; conserve fora do alcance de crianças e animais domésticos; em caso de contato com a pele, lavar a parte atingida por 30 minutos.

 

A denuncia foi feita na Vigilância Sanitária por uma idosa que desconfiou da procedência do produto. “Ele [o dono] não pode fracionar o álcool em potinhos menores, apenas as farmácia de manipulação pode fazer isso, e lá é uma drogaria”, alerta ela.

Outro erro foi à falta de identificação nos potes, isto é, rótulos identificando o que é o produto e farmacêutico responsável. A idosa teve reação alérgica na mão e a farmácia foi notificada.

 

Giane afirma ainda que a questão não foi a boa ação, já que isso é positivo, inclusive mesmo as drogarias não podendo manipular produtos, seria considerável a ação, mas o problema foi o uso de produto impróprio. “Isso não pode ser feito de maneira alguma, coloca em risco a vida de quem for utilizar”, finalizou.


OUTRAS NOTÍCIAS: Saúde