Departamento de Comunicação
08/07/2014 - 08:52 - Atualizado em 12/08/2015 - 09:07


Prefeitura inaugura Centro de Especialidades da Mulher

Prefeitura inaugura Centro de Especialidades da Mulher


Em comemoração ao aniversário de 157 de emancipação político-administrativa de Paranaíba, no último dia 4, a Prefeitura realizou eventos, inaugurações e lançou um pacote de obras no valor de mais de R$ 20 milhões. Uma das benfeitorias entregues na data foi o Centro de Especialidades da Mulher “Ocília Souto e Silva”. Com o novo prédio, os atendimentos serão ampliados e os usuários terão mais conforto e qualidade nos tratamentos que poderão ser realizados em um lugar voltado exclusivamente à saúde da mulher.

 

A finalidade do espaço é otimizar o atendimento à mulher no município, por meio de uma unidade especializada em situações como: pré-natal, violência sexual, prevenção ao câncer de mama e ao câncer de colo uterino, mamografia, entre outros.

 

Além das especialidades médicas, haverá também atendimento psicológico gratuito. A equipe multiprofisisonal é composta por 12 profissionais: médicos ginecologistas e obstetras, fisioterapeuta, psicólogo, técnicos de enfermagem, enfermeiros, pessoal administrativo e auxiliar de limpeza.

 

Na inauguração, estiveram presentes o prefeito , vereadores, secretários, autoridades locais e a família de Ocília, incluindo o vereador José Souto e Silva (Zé Carioca), um dos autores do projeto de lei para nomeação da unidade de saúde, junto com o vereador Marcos Magalhães.

 

Em nome da família, a professora Leni Aparecida Souto Miziara, filha de Ocília, agradeceu à homenagem e parabenizou pessoas que, como sua mãe, trabalharam por Paranaíba, no anonimato, desprovidas de qualquer sentimento ou vaidade. “Esse exemplo de minha mãe é uma ordem para todos os seus descendentes, para continuar nessa luta, de maneira silenciosa, aguda, em prol de Paranaíba. Estamos imensamente felizes e agradecidos”, ressaltou.

 

Leni finalizou seu discurso, falando sobre a importância da obra inaugurada e os benefícios que ela trará para as mulheres paranaibenses. “Se no passado, o tempo de existência de uma mulher estava condicionado ao fator sorte, hoje os benefícios da ciência podem lhe conceder vida longa e com bem estar. Portanto, a iniciativa de nosso prefeito e vereadores, no sentido de oportunizar tratamentos clínicos que, cada vez mais, asseguram uma melhor qualidade de saúde à mulher, é digna de particular reconhecimento”, concluiu.

 

O prefeito “Quero cumprimentar e agradecer todas as pessoas que tornaram possível a edificação e a inauguração dessa obra vital para Paranaíba, que beneficiará imensamente a saúde dos mulheres do nosso município”.

 

Sobre Ocília,prefeito salientou sua força e relevância para a cidade. “Eu frequentei a fazenda do Zecão Carioca e da dona Ocília. Eles tiveram uma história muita bonita. A vida era muito difícil antigamente. Tenho um respeito e um carinho muito grande por essa família”.

 

A homenageada

 

Com 34 netos, 37 bisnetos e dois tataranetos, a história de Ocília Souto e Silva tem início em 18 de julho de 1925, na fazenda Serradinho, em Prata (MG). De dez irmãos, era a quarta filha de Joaquim Cornélio Souto e Francisca Maria de Jesus.

 

Segundo a família, quanto à educação formal, naquela época, era de praxe as famílias tradicionais contratarem tutores para ensinar as primeiras letras aos filhos. Com facilidade, aprendeu a ler e escrever, o que possibilitou ajudar irmãs, irmãos, filhos dos fazendeiros e agregados mais próximos.

 

Por volta de 1940, conheceu José Vicente (Zecão Carioca), rapaz sério e trabalhador, que assumiu, desde cedo, a respinsabilidade de chefe de família e zelou da mãe e irmãs após a falta do pai.

 

Em 1945, com residência ainda em Prata, Ocília e José Vicente se casaram e deram início a uma nova família.Os frutos dessa união logo vieram, o que os levou a buscar novos caminhos com condições melhores para a criação dos filhos. Mudaram-se para Paranaíba, em 1949, onde criaram seus doze filhos.

 

Além de exímia alfabetizadora, como católica, foi a primeira catequista de seus filhos. No campo social, Ocília tinha crença na vida e essa fé a motivava a auxiliar as pessoas menos favorecidas economicamente. Não media esforços para atender os mais necessitados que procurassem ajuda. Participava das campanhas promovidas pela igreja, realizava doações e participava dos problemas sociais, políticos e econômicos que o município enfrentava.


OUTRAS NOTÍCIAS: Governo