Departamento de Comunicação
14/05/2014 - 16:17 - Atualizado em 31/07/2015 - 16:17


Dia de Luta Antimanicomial é comemorado com passeata nesta sexta

Iniciativa da Prefeitura de Paranaíba, por meio do Caps e do Naps, tem o objetivo de pedir o fim dos manicômios no Brasil

Dia de Luta Antimanicomial é comemorado com passeata nesta sexta


Em comemoração ao dia 18 de maio, Dia de Luta Antimanicomial, a Prefeitura de Paranaíba, por meio do Caps (Centro de Atenção Psicossocial) e do Nasf (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), realiza uma passeata na próxima sexta-feira (16), das 7h às 11h, saindo do Caps em direção à Praça da República.

O objetivo da ação é pedir o fim dos manicômios no Brasil e dizer que todo paciente com transtorno mental precisa ser acolhido por uma rede de atendimento especializado. O movimento antimanicomial existe há 27 anos e é difundido em todo o Brasil, com o propósito de fechar hospícios e proporcionar uma vida melhor às pessoas que sofrem algum transtorno.

Dia 18 de maio é a data nacional da luta contra os manicômios. O movimento em prol da reforma psiquiátrica já alcançou algumas vitórias no Brasil. Já desospitalizou internos e reduziu o número de leitos em hospitais psiquiátricos. O Movimento Nacional de Luta Antimanicomial (MNLA) é um movimento social e disseminado por todos os estados do Brasil. Tem como metas o fechamento de hospícios e manicômios do país e a promoção de uma cultura de tratamento, convivência e tolerância, no seio da sociedade, para as pessoas com sofrimento emocional de qualquer tipo.

As condições da saúde mental no Brasil evoluíram, porém a Luta Antimanicomial continua com manifestações em todo o país no dia 18 de maio, a fim de que se mantenha vivo o cuidado com os doentes, e para que haja a conscientização de que eles não devem ser excluídos da sociedade e maltratados como eram antigamente, mas sim orientados e acompanhados.

Caps

Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) são instituições brasileiras que visam à substituição dos hospitais psiquiátricos (antigos hospícios ou manicômios) e de seus métodos de cuidar das afecções psiquiátricas. Oferecendo atendimento terapêutico e promovendo a reinserção social.

Os Caps, instituídos juntamente com os Núcleos de Assistência Psicossocial (Naps), através da Portaria/SNAS nº 224 - 29 de Janeiro de 1992, atualizada pela Portaria nº 336 - 19 de Fevereiro de 2002, são unidades de saúde locais/regionalizadas que contam com uma população adscrita definida pelo nível local e que oferecem atendimento de cuidados intermediários entre o regime ambulatorial e a internação hospitalar, em um ou dois turnos de quatro horas, por equipe multiprofissional, constituindo-se também em porta de entrada da rede de serviços para as ações relativas à saúde mental.

A atenção do Caps deve incluir ações dirigidas aos familiares e comprometer-se com a construção dos projetos de inserção social, gerenciamento de casos, personalizando o projeto de cada paciente na unidade e fora dela e desenvolver atividades para a permanência diária no serviço.

A saúde mental, a partir de um recente processo de transformação da assistência aos portadores de transtorno mental, vem reorganizando o modelo de assistência até então vigente, estabelecendo políticas públicas, permitindo aos usuários os cuidados necessários, sem afastá-los da vida cotidiana, o que inclui a família, o trabalho, os demais círculos sociais, o lazer e o exercício de seus direitos civis.


OUTRAS NOTÍCIAS: Assistência Social

11
Set
2019
14
Ago
2019
07
Ago
2019