Departamento de Comunicação
25/03/2014 - 09:25 - Atualizado em 03/08/2015 - 09:25


Reunião discute transporte de safra de cana em Paranaíba

Reunião discute transporte de safra de cana em Paranaíba


Visando debater o transporte de cana-de-açúcar no município, na manha do último sábado (22) ocorreu uma reunião na Prefeitura de Paranaíba, com lideranças do município e também as que trabalham no segmento, tendo em vista o começo da safra, que está marcado para o inicio do mês de abril e deve aumentar o fluxo de veículos nas rodovias que permeiam a Paranaíba.

 

O debate reuniu também representantes de instituições como: a Câmara e a Prefeitura, além da PRF (Polícia Rodoviária Federal). Também se fizeram presentes o deputado federal, Vander Loubet, o gerente de produção da Usina Coruripe, José Carlos Contieiro, e representantes da Canapar (Associação de Produtores de Cana de Paranaíba), presidida pelo empresário Gilmar Macedo.

 

Um dos temas propostos pelos produtores e transportadores de cana em Paranaíba foi relativo à preocupação com as leis que regem esse transporte, como o peso permitido por lei, documentação, assim como a segurança nas vias rodoviárias que cortam o município.

“Foi sugerido, entre diversas providências, a busca de um termo de ajuste e conduta, para que todos venham a se adequar e isso junto ao Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual”, disse o superintendente da PRF.

 

Ainda conforme Ciro, a grande preocupação por parte da polícia é aumento expressivo no tráfego de veículos na região, o que pode congestionar as vias, devido à baixa velocidade dos caminhões, que pode incidir em acidentes. Uma questão também colocada pelo superintendente, foi a tentativa de concentrar os locais de entrada e saída desses veículos, para as plantações, o que ajudaria na sinalização para os condutores das vias e traria mais segurança para transportadores e motoristas que estejam trafegando.

 

José Carlos Contieiro, gerente de produção da Coruripe, explanou sobre a preocupação da empresa com o transporte da produção de cana-de-açúcar em Paranaíba para Minas Gerais, até que a unidade do município esteja pronta.

 

Conforme ele, em 2014 serão aproximadamente 500 mil toneladas de cana que passarão pelas rodovias que cortam o território da cidade e deve aumentar cada ano mais até 2017 quando fica pronta a unidade do município.

 

“A gente precisa estar em sintonia e de bem com a comunidade e com toda a região e viemos trazer a nossa proposta de adequação com esse transporte, dentro da legislação vigente, de peso de balança e assumimos um compromisso com eles. E nós já firmamos esse compromisso em Minas Gerais através de um documento, um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) assinado junto ao Ministério Público do Trabalho e que nós vamos nos adequar junto à lei da balança ao longo dos próximos anos”, disse Contieiro.

Durante a reunião, o empresário Gilmar Macedo, que é presidente da associação do setor sucroalcooleiro do município, falou sobre a vontade dos produtores e transportadores em fazer o carregamento da produção de forma correta e das dificuldades que estão encontrando, pois não conseguem fazer a pesagem do material nas fazendas. Gilmar ponderou também sobre a importância dessa discussão para que os produtores e transportadores possam se adequar as regras de transporte.

 

“Aqui em Paranaíba estamos iniciando o setor agora e temos aqui a associação dos fornecedores de cana na qual e sou presidente que é a Canapar (Associação dos fornecedores de Cana de Paranaíba), que tem 28 associados e em média de 700 funcionários diretamente ligados à prestação de serviço e transporte de cana. Mas, Paranaíba está iniciando ainda, e viemos aqui na ocasião solicitar que tenham um pouco de paciência com a gente, nós não queremos andar errado” disse Macedo.

 

O deputado federal Vander Loubet, que participou como mediador da reunião, destacou o momento muito importante sobre o desenvolvimento do setor sucroalcooleiro para o município, já que hoje a produção gera uma média de 700 empregos diretos. Loubet destacou também a importância dessa conversa, para que se chegue a um acordo comum, que fique bom para todos os envolvidos. “Pois a polícia tem sua preocupação com os usuários das rodovias, os transportadores em andar de forma regular e não causar transtornos aos motoristas que usam as vias”, completou Loubet.

 

“É muito importante que seja discutido na mesa, para se tentar um entendimento e transformar isso em um TAC, onde o Ministério Público, a Polícia Rodoviária Federal, os produtores e os donos das usinas assumam um compromisso, que a gente possa se adequar à legislação, que nós temos hoje, mas que permita que  esses produtores possam fazer esse transporte do seu produto e com isso estar mantendo esses empregos que são tão importantes aqui para a cidade de Paranaíba”, disse o deputado.

 

Participaram da reunião também os vereadores: Heliomar Cangussu (Baixinho), Jane Paula da Silva Colombo, Adriano Caçula e Marcos Antônio Prerira Magalhães. O produtor Antonio Claret, o secretário de governo, Andrew Robalinho, e a diretora do departamento de Indústria e Comércio, Iaponira Fernandes.


OUTRAS NOTÍCIAS: Agricultura