Departamento de Comunicação
31/03/2015 - 14:49 - Atualizado em 22/06/2015 - 14:49


Paranaibenses se aproximam de realizar o sonho da casa própria

Paranaibenses se aproximam de realizar o sonho da casa própria


"Vou me sentir a mulher mais feliz do mundo. Quero viver o resto da minha vida em um lugarzinho que seja meu. Eu nunca morei em uma casa minha, esse é o meu maior desejo. Queira Deus que eu seja selecionada". Essa foi a declaração da dona de casa Albertina Aparecida Batista, de 57 anos, quando questionada sobre a possibilidade de ser uma das contempladas com uma casa, em Paranaíba.

 

Ela, que sofreu tanto durante toda sua vida, criando os cinco filhos sozinha, se orgulha de ter vencido tantas batalhas e poder olhar para trás com orgulho. Com os filhos adultos, hoje dona Albertina vive com apenas um deles e conta com o auxílio da Assistência Social e de seu filho de apenas 19 anos que trabalha como servente para ajudar nas despesas. Eles pagam aluguel e só os dois sabem o quão difícil é arrumar esse dinheiro todo mês. "Eu quase já fui despejada, mas tenho fé que tudo dará certo e eu conseguirei minha casa", disse ela com brilho nos olhos.

 

E essa esperança está presente em muitos olhares. Afinal, o sonho de ter uma casa própria pode ser elencado como o número um para a maioria dos brasileiros. Todos querem ter sua casinha, seu espaço para chamar de seu. E não é diferente aqui em Paranaíba, a conquista por uma casa é a luta de muitos que almejam um futuro melhor, com mais qualidade de vida para si e para sua família.

 

Cerca de 300 famílias realizarão o sonho de ter sua casa própria, em breve, em Paranaíba. Isso porque a Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, em parceria com o Governo Federal, viabilizará a construção de um conjunto residencial com o Programa Habitacional Popular - "Minha Casa, Minha Vida" - Entidades, com aproximadamente 300 casas na primeira etapa com toda a infraestrutura garantida por lei do Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades. A contrapartida do município está na doação de um terreno de 15,5 hectares, no valor estimulado em R$ 812 mil, o que possibilitou o projeto em Paranaíba.

 

Além disso, a Secretaria de Assistência Social realizou o pré-cadastro das famílias que se enquadram nos requisitos do programa e está dando todo o respaldo necessário na execução do projeto.

 

Como parte do processo, na última sexta-feira (27), esteve na Escola Estadual Aracilda Cícero Corrêa da Costa, o presidente do Instituto Habitar Brasil de Desenvolvimento Humano e Institucional, Jaílson Oliveira, para a 1ª Assembleia com a população pré-cadastrada, a fim de sanar as dúvidas dos moradores e esclarecer especificações a respeito do programa.

 

Jaílson explicou que há critérios para participar da seleção, como: não ter casa; morar em área de risco; famílias com idosos e deficientes (3%); e renda familiar de, no máximo, R$ 1600,00. "A seleção é feita pela Caixa Econômica. Nem o município, nem a entidade tem autonomia para dizer que será beneficiado ou não", disse.

 

O presidente também disse que as famílias contempladas pagarão uma mensalidade que varia entre R$ 25 a R$ 80 mensais durante 120 meses. "Essa taxa corresponde a até 5% da renda da família, ou seja, o desemprego pagará R$ 25 e aquele que ganha R$ 1600, pagará os R$ 80, equivalentes a 5%.

 

A casa é composta por dois quartos, um banheiro, uma cozinha e uma sala. Outras exigências são: piso, forro PVC, uma placa solar para o chuveiro e cozinha e banheiro revestidos com azulejos.

 

E uma dessas casas poderá ser de dona Albertina, ou talvez de dona Aparecida da Penha Pádua, de 55 anos, viúva, pensionista, que vive de favor na casa da filha com uma netinha. "Uma hora vou precisar devolver a casa em que eu estou. Essa casa própria seria a mudança da minha vida, iria mudar tudo e eu poderia dar mais coisas para minha neta de oito anos. Estou animada e torcendo muito".

 

Aparecida não está sozinha nessa luta, sua nora Dayane Melina Davica Demaze também é uma das concorrentes. Casada e com um filho, Dayane sonha em não pagar mais aluguel para poder dar uma vida melhor ao pequeno. "Estamos começando nossa vida juntos e tudo é muito difícil. Meu marido é pedreiro e quando chove ele nem consegue arrumar serviço. Essa casa seria nossa salvação e poderíamos dar mais coisas ao nosso filho".

 

Albertina, Aparecida e Dayane são exemplos das mais de 500 famílias que estiveram presentes na assembleia e buscam uma melhor qualidade de vida. Os sonhos delas são compartilhados por mais 1600 famílias pré-cadastradas no município no programa para a obtenção da casa própria.

 

Após a assembleia, Jaílson levou as assinaturas das famílias pré-cadastradas para a Caixa. Ele disse que não há previsão exata para a resposta sobre a seleção, mas a estimativa é que, dentro de 150 dias, a Caixa já divulgue os cadastrados que mais se enquadram no programa. O passo seguinte é uma visita técnica da Caixa ao terreno para se constatar a viabilidade do local. Assim sendo, terá o início o projeto de engenharia.

 

A secretária de Assistência Social, Leopoldina Gasperini (Dininha), destacou a importância do projeto e disse que a assembleia foi um sucesso. "Recebemos as famílias e elas puderam tirar todas as dúvidas. Nós tivemos uma recepção muito boa de todos e saímos satisfeitos, com o nosso objetivo alcançado. É um projeto transparente que visa a atender nossa população que tanto sofre com o déficit habitacional.

 

O programa

O projeto tem como finalidade atender às necessidades de habitação da população de baixa renda nas áreas urbanas, garantindo o acesso à moradia digna com padrões mínimos de sustentabilidade, segurança e habitabilidade. O programa funciona por meio da concessão de financiamentos a beneficiários organizados de forma associativa por uma Entidade Organizadora – EO ( Associações, Cooperativas, Sindicatos e outros ), com recursos provenientes do Orçamento Geral da União – OGU, aportados ao Fundo de Desenvolvimento Social – FDS.


OUTRAS NOTÍCIAS: Assistência Social

11
Set
2019
14
Ago
2019
07
Ago
2019