Departamento de Comunicação
15/07/2021 - 11:33 - Atualizado em 15/07/2021 - 11:33


Cultura busca parceria com o Estado para o IV FEMUSPAR

Cultura busca parceria com o Estado para o IV FEMUSPAR


A Secretaria Municipal de Cultura de Paranaíba pretende realizar, em setembro deste ano, o IV FEMUSPAR (Festival de Música de Paranaíba) e para isso busca parceria com o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundação de Cultura.

 


Nesta quarta-feira, 14, a Secretária de Cultura, Débora Queiroz, acompanhada do presidente da Câmara de Vereadores, Dollar Pires, esteve na Fundação de Cultura para uma reunião com o diretor presidente Gustavo Arruda Castelo, o “Cegonha”, e a deputada estadual Mara Caseiro para apresentar o projeto e tirar outras dúvidas sobre o atendimento ao artesão e associações.

 


Débora iniciou a tratativa agradecendo o apoio da Fundação e da deputada nas realizações de ações em Paranaíba, a exemplo da Live de aniversário da cidade, quando foi disponibilizado o show de Patrícia e Adriana, destacou o sucesso do evento e enfatizou que apenas com o auxílio do Estado é possível fazer um trabalho mais elaborado em prol da população. “Estou secretária de Cultura desde janeiro e quero fazer as coisas acontecerem. Nós estivemos muito parados em razão da pandemia de Covid-19, que eu entendo perfeitamente as restrições, mas nós precisamos ajudar os nossos artistas. Esse Festival vai atender todos os nossos cantores locais e será 100% online para as famílias paranaibenses acompanhar”, disse.

 


O IV FEMUSPAR ainda não tem uma data específica definida, no entanto, de acordo com o projeto, será realizado numa sexta-feira e sábado, de maneira virtual, com a participação apenas de artistas de Paranaíba, para todos os gêneros musicais. A sua premiação será definida em dinheiro.

 


Cegonha sinalizou ser viável a parceria, avaliou o projeto apresentado e orientou a secretária a prestar contas da Lei Aldir Blanc, de auxilio emergencial aos artistas, até o dia 30 de junho de 2022. Ele contou que Paranaíba tem um saldo de R$ 157 mil pela Aldir Blanc, porém a Fundação precisa aguardar a regulamentação da Lei, para entender corretamente em qual item do edital será possível trabalhar o projeto. Mara Caseiro pontuou que a solução será pactuar um convênio entre a Prefeitura e o Estado, para ser disponibilizada a estrutura do evento. 
Foi levado ao conhecimento da Fundação e da deputada a necessidade de atender as associações e centro cultural. A secretária contou que o Município tem uma Associação de Músicos e um Centro Cultural, e é da vontade da Administração do prefeito Maycol Queiroz fomentar as atividades destes dois segmentos. “Nós temos uma Associação de Músicos e também um Centro Cultural que necessitam de mais apoio. No Centro Cultural são desenvolvidas aulas de capoeira e pretendem iniciar novos projetos. Preciso saber de que forma podemos ajudar”, indagou ela.

 


Mara Caseiro explicou que no caso de associações apenas pelo FIC (Fundo de Investimento à Cultura) é possível auxiliá-los, para que isso ocorra as associações precisam ser cadastradas. 

 


Outra pauta apresentada foi a cobrança de carteirinhas do artesão. Débora perguntou como os artesãos podem retirar o documento e teve como resposta que todo o processo agora passou a ser feito de maneira virtual, pelo site da Fundação. No entanto, foi esclarecido que apenas o artesão pode fazer este serviço, porque demanda de muitas informações pessoais, competirá à Secretaria de Cultura orientá-los. Diversas capacitações estão sendo feitas no site da Fundação de Cultura (www.fundacaodecultura.ms.gov.br).

 

 

DECOM
Luana Chaves


OUTRAS NOTÍCIAS: Cultura